segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

POR QUE VOCÊ FAZ POEMA?


por que você faz poema?
Herculano Neto

para dizer sem dizer
e irritar quem não me entende
(quem me detesta
mas esmiúça minha palavra)

para alentar meu público fiel
meu público efêmero

para exibir minha verve
em troca do elogio oco
do pouco-caso

para que os conhecidos
busquem meus enganos nas entrelinhas
e os desconhecidos espelho na minha farsa

para transformar minha frase em verso
meu verso em canção
cartão-postal
epígrafe
tatuagem
epitáfio
sacada genial

“para chatear os imbecis”


POR QUE VOCÊ FAZ CINEMA?*
Para chatear os imbecis / Para não ser aplaudido depois de sequências dó-de-peito / Para viver à beira do abismo / Para correr o risco de ser desmascarado pelo grande público / Para que conhecidos e desconhecidos se deliciem / Para que os justos e os bons ganhem dinheiro, sobretudo eu mesmo/ Porque, de outro jeito, a vida não vale a pena / Para ver e mostrar o nunca visto, o bem e o mal, o feio e o bonito / Porque vi Simão no Deserto / Para insultar os arrogantes e poderosos, quando ficam como cachorros dentro d’água no escuro do cinema / Para ser lesado em meus direitos autorais.

*(Joaquim Pedro de Andrade. In: Pourquoi filmez-vous? Paris: Libération, maio de 1987)



96 comentários:

  1. A partir da inquietação provocada em mim pela genial resposta do cineasta Joaquim Pedro de Andrade a capciosa pergunta: por que você faz cinema?, escrevi por que você faz poema? - em um momento de bastantes questionamentos (e uma forma de exorcizar fantasmas interiores e exteriores). Publicado originalmente na revista CULT em janeiro de 2007, involuntariamente se tornou uma espécie de cartão de visitas.

    ResponderExcluir
  2. O labirinto da criação e os seus minotauros ou um uruboro. abraço.

    ResponderExcluir
  3. para mostrar nossos enganos nas entrelinhas ... por isto escrevemos ... por estas linhas em códigos que nos revelamos de forma mais autêntica ...

    magnificamente lindo

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  4. Herculano, perfeitas palavras.

    Como desconhecida espelho-me, não em tua farsa, mas em teus versos.

    ResponderExcluir
  5. Poesia - no fim das contas - é desnudar-se, então, se é pra fazê-lo que seja sem pudores... Também no fim das contas, nem sempre o que a nudez revela é algo belo ou digno de apreciação risos... poemas falam quase sempre do que não podemos transmitir a outrem com nossos signos primitivos... ousar poetisar é reconhecer, sem frustração, nossa incapacidade de comunicarmos certas idéias e sentimentos... e, sobretudo, reconhecer haja beleza nisto...

    'E a quem queira definir a poesia
    Tanto mais se afasta
    Tanto mais se distancia'


    Francisco de Sousa Vieira Filho

    Faz lembrar uma passagem de Kahlil Gibran em que questionava o que teria sido do primeiro poeta ao largar o arco e divisar a beleza de um nascer ou pôr-do-sol e tentar explicar [com palavras] isso [que sentia] para seus companheiros de armas [quase todos guerreiros rudes e via de regra insensíveis]... provável daí tenha surgido a figura do skäld nórdico, uma espécie de guerreiro-bardo...

    Enfim, definir pra quê se o bom é apreciar, sentir e fazer? Muita gente nem escreve uma só linha e é mais poeta que muitos que se debruçam sobre o papel... já me traindo, diria, ser poeta seria mais como um modo de vida e de pensar...

    Belo espaço [e cartão de visitas]... seguindo cá...

    ResponderExcluir
  6. ADORO esse poema, é genial. na lista dos preferidos do livro.

    ResponderExcluir
  7. Por quê palavras... Ainda?

    Não sei.

    ResponderExcluir
  8. e que cartão!

    sua palavra é procante, mas a provocação é agradável, bem feita, inspirada!

    vi também a releitura de tansa no mojo (não sabia que você havia escrito no mojo)

    e gostei muito!

    tenho que vir aqui mais vezes, sinto que estou perdendo boas leituras.

    grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. O poema também é insulto.
    Faz poema tão bem, quem insulta...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Adorei, tudo o que você escreve fica tão intenso, tão bonito que sempre fico sem saber o que dizer!

    ResponderExcluir
  11. O poema também é insulto.
    Faz poema tão bem, quem insulta...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. "dizer sem dizer
    e irritar quem não me entende" é querer irritar mesmo... pois dizer sem (querer) dizer é provocar... chatear...
    abs

    ResponderExcluir
  13. Eu faço poemas para ouvir o canto das palavras.

    ResponderExcluir
  14. Coitado de nós... humildes leitores e comentadores!

    Todos queremos ser imortalizados!
    =*

    ResponderExcluir
  15. Grande manifesto, beleza de poema! Quanto a mim, faço pra variar...

    ResponderExcluir
  16. Gostei do poema (e do diálogo com J.Pedro), achei-o provocativo, me fez pensar. Muito bom o seu blog! Abraços.

    ResponderExcluir
  17. ".e os desconhecidos espelho na minha farsa"

    preciso falar mais algo? creio que não.

    ResponderExcluir
  18. Gostei do poema !! e da frase: “para chatear os imbecis” tem muita coisa pra chatear imbecis...também poderia ser : "não jogue pérolas aos porcos, pois não sabem o valor que tem "
    obrigado pela sua visita ao meu espaço"janelas".
    um abraço!

    ResponderExcluir
  19. Muito bom.

    Eu faço poema para deleite
    do ego, desabafo da alma.

    E "para chatear os imbecis".

    =]

    Ficou ótima a intertextualidade.

    -
    Obrigada por comentar
    em meu blog. Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Simplesmente show, Herculano!
    Ambos estão ótimos.
    Lindo demais.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Parabéns!Amei o que escreve!Quando puder apareça no projeto Leituras Musicadas!Seria um prazer um poema seu, lido no Projeto!
    Abraços,
    Thais Alves
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  22. Que maravilha de poema,como tudo por aqui...perfeito!!

    Parabéns....voltarei sempre!!

    Abraços,

    Reggina Moon Poesias

    ResponderExcluir
  23. poesia boa é lida nas entrelinhas.
    vingança à burrice.

    ResponderExcluir
  24. Instigante
    provocante
    capcioso..........................
    ...........................etc e tal.

    ''Há palavras que me pesam, que me empurram.
    E silêncios que incomodam, me machucam.
    E as palavras que espero não me encontram.
    Magoa e inquieta o silêncio que me enviam.
    E as palavras de que fujo, me perseguem.
    E o silêncio a que as remeto, não me acalma.
    É quando, então, Ignoro silêncio, empurro pessoas.
    Peso palavras, calo ilusões. E fico assim calada.!
    E grito silêncio!psiu! ... E escrevo palavras...E choro choro poemas''

    Grande Abraço,
    Obrigada pela visita,qdo quiser volte.
    IT.

    ResponderExcluir
  25. para transformar minha frase em verso
    meu verso em canção
    cartão-postal
    epígrafe
    tatuagem
    epitáfio
    sacada genial


    Amei.........e agradeço sua visita.
    Volte sempre........M@ria

    ResponderExcluir
  26. Caro amigo, legal os dois,sigo sua poesia,além da qualidade(óbvio),para me situar,como forma de deleite,como aprendizado,gosto! Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Entendo bem...

    Gostei muito do diálogo, de verdade.

    Ótimo fim de semana!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Genial! Adorei o seu blog!
    Escreves muito bem.

    ResponderExcluir
  29. instigante!

    Viu a coletânea de poetas respondendo a pergunta O que é poesia?
    Não li. vi hoje na net. Mas parece instigante.

    ResponderExcluir
  30. Genial!

    Acho que você com esse poema expressou o que muitos de nós que nos dedicamos a poesia sentimos.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  31. "...pra quê querer saber que horas são?
    Se é noite ou faz calor,
    se estamos no verão,
    se o sol virá ou não,
    ou pra quê é que serve uma canção como essa? (...)
    poetas para quê?
    Os deuses, as dúvidas,
    pra quê amendoeiras pelas ruas?
    Para quê servem as ruas? (...)"

    Cantada (Adriana Calcanhotto)

    ResponderExcluir
  32. Aih, katso aurinko on sirppi taivaalla kuu vehosi sen Suomen yllä ,tuli takaisin pallo ja lukematon tähtimeri lumikenttien yllä. Kinos nietos kuin vuori ja kesä kauan on mennyt kun sulanut juuri ja saapuu uusi talvi. Sydän vain on aina kuuma ja sulsaa sanoja se levoton etsii niin kauan kuin elon aika on. Silloin jäähtyy sydän ja pysähtyy talvi vain routa ja rakkaus jää.

    ResponderExcluir
  33. Fantástico.
    Te convido a seguir minhas cores.
    Que lindo teu espaço. E legal também é o rosto que seguira a máquina. Parece que tem alguém sempre olhando pra gente.
    MUITO BACANA!
    Parabéns,
    Jozi
    www.olugardascoresescritas.com

    ResponderExcluir
  34. Realmente me surpreendi adora!
    Quanta Intensidade nessas palavras!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  35. Pra que você faz poemas?

    Horas, por que sim!

    Porque eu, você, qualquer um precisa expor o que esta sentindo, o surto que esta acontecendo.

    Uns acham que é poesia, outros acham que é bobagem organizada.

    Escrevemos porque precisamos explodir nossas emoções

    Acreditamos no poder das palavras
    Construímos castelos com elas, pros nossos sonhos habitá-los.

    Escrevemos por que enlaçamos atos e motivos.

    Escrevemos por que agimos por impulso.

    Escrevemos porque somos culpados
    Escrevemos porque somos felizes

    Escrevemos porque queremos escrever e ponto final.

    Beijos pra vc moço!

    ResponderExcluir
  36. Faço poemas para suprir algumas das minhas necessidades fisiológicas, porque faz bem ao meu coração; emocionais, já que me relaxa, e espirituais, pois sei que entro em contato com o meu lado mais profundo. E, é claro, para que as pessoas compartilhem comigo suas impressões e emoções. Estou lhe seguindo, se quiser da uma passada lá em meu blog, ficarei muito contente: www.qbonecadoll.blogspot.com. Bjão.

    ResponderExcluir
  37. Pensei, e pensei mais
    E cada vez mais seriamente
    E logo uma angústia inquietou minha mente:
    "Por que eu faço poema?"
    Para trazer o passado?
    Seria a resposta primeira, mas acho
    ...que isso não é a verdade inteira.

    Por vaidade
    Por não querer me exibir
    Para me encartar num envelope que achei bonito
    Para ser eterno
    Para controlar a morte num ponto final.
    Para tê-la.

    São todas respostas sinceras, mas, mesmo assim, sendo tantas, ainda não se tornam uma.

    E isso me conforta.

    ResponderExcluir
  38. Belíssimo e intrigante poema. Parabéns é pouco para te oferecer. Aplausos, então, efusivos aplausos. Bem, eu escrevo poemas, porque gosto muito de viajar no inefável céu dos meus sentimentos. O seu site é belíssimo, parabéns uma vez mais. (nuvembranca)

    ResponderExcluir
  39. Parabéns pelo seu magnífico blog. Faço poemas porque não sei escrever. A poesia me salva, não preciso da gramática, basta rimar, nem da métrica eu preciso, só de sentimentos. Meu abraço.

    ResponderExcluir
  40. a arte é pensar por imagens!!!
    a poesia nunca se fecha sendo arte.


    lindo texto

    kiko

    ResponderExcluir
  41. Deve ser por que tantas vontades não caberiam jamais numa prosa.

    ResponderExcluir
  42. Olá.
    Faço porque, apesar de achar que não tenho alma, tenho mãos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  43. Não os faço,
    os transcrevo!

    Transgrido todos os mandamentos humanos
    desenho, re-escrevo!
    Mudo a forma em mil pensamentos
    Ladrilhos,
    ungüentos da história
    Faço graça na memória
    e a poesia aplaude
    e ri comigo
    e se desata em alarde
    quer ser zombeteira - abrigo

    Contraditó_óóó_ria! Nem digo.
    E me fascina ser dela
    e encanta outras tantas
    um laço de fita amarelo
    uma roseira - entre mantas
    de versos sobrepujantes ao caos

    Grita!
    Quanta audácia...:
    - Por que fazer PoEmAs?
    então a vós pertenceis?

    Foi isso que me gritou
    danada a Poesia - não fáceis
    entendi vossa voz, e sorriu
    Entendi a maneira do sonho
    E a Poesia anuiu!

    - Me desenha! que terás alegrias.
    Me invente - caricaturas, manias
    Conta a todos, és outras "tias"
    Filha das outroras frias
    linda e doce, as melodias

    E ditarás versos
    Parecerão teus
    parecerão tolos
    parecerão feios e mornos

    E serei apenas eu! Poesia.
    Somente sombras o meu dia
    talvez
    e pensarás que os fez
    Surtarás
    morrerás
    indignada - cairás
    E serei apenas eu...

    Eu, Poesia.
    Transcrita, desenhada,
    descrita em versos -
    poeiras
    estradas...-

    Entendi o que disse,
    escrevi o que disse
    encantei-me com ela
    outras e muitas vezes
    diversas
    aparições em minh'alma
    por vezes, inversa
    Pintada em detalhes negros - lama
    e triste!...

    Feito hoje!
    Sombria - inerte.

    ResponderExcluir
  44. Faço poema para me exorcizar. Valeu? Meu abraço.

    ResponderExcluir
  45. FAÇO POEMA POR QUE É O ÚNICO ESPAÇO ONDE NÃO EXISTEM FRONTEIRAS,E QUAISQUER LIMITAÇÕES IMPOSTAS POR QUAISQUER CONVENÇÕES HUMANAS.É O ÚNICO LUGAR MAIS QUE PERFEITO ONDE PERPASSO OS MISTÉRIOS DA DIVINDADE,SUPLANTO O TEMPO E A MORTE E PERENIZANDO A PERFEIÇÃO,ONDE NO ESTADO POÉTICO SE TORNAS INVISIVEL TODA E QUALQUER AGENTE DELIMITADO DE HUMANA IMPERFEIÇÃO.

    ResponderExcluir
  46. Boa Resposta

    O poeta faz poesia pra fazer as outra pessoa enxergar de outra dimensões

    Tenta fazer as pessoa enxegarem o mundo dele

    ResponderExcluir
  47. Vim convidar você para ler e comentar meu novo conto e encontrei essa pergunta que você respondeu de uma foma muito boa, mas meu outro heterônimo também tem uma, desejo um belíssimo domingo, abraço!


    Por que faço poemas

    Para nomear o inominável
    E desinfetar o fel do ar
    E assim deixar livre
    A inspiração passar

    Para dizer ao ser mulher
    Que aqui ela é eterna
    E no cinema não vou precisar
    De lanterna para te achar

    Para no acaso eu me casar
    E no ocaso o sol velar
    Na praia nosso devasso amar

    Para deixar fluir o meu sentido
    E com isso não cair neste abismo
    Que é o viver se falar
    Ou seja, isso vai ser o meu castigo!

    Para transgredir e agredir
    Os incultos e muitos cultos
    Que ainda assim são curtos
    Nunca os surdos mudos

    Ulisses Reis®
    26/06/2011

    http://ulissespoemas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  48. "Motivo"

    Poetiso.
    Porque o poema liberta não a mim
    mas a dor
    e renova,lava tudo
    pelo poder do amor...

    Poetiso.
    Porque a lágrima da alma
    não tem por onde escorrer
    é mais libertador
    e me salva de gemer...

    Poetiso.
    Porque não tenho outro meio
    um jeito qualquer de protestar
    é quando meu peito desiste de chorar...

    Poetiso.
    Porque brinco com a vida
    p`ra torná-la bela
    reiventando sentidos
    revendo antigas descobertas...

    Poetiso.
    Porque não sou de mátemática
    e não sei quantificar
    mas quando me invade,domina

    preciso transbordar... #

    Poema de minha autoria publicado no site: www.aluanaodorme.blogspot.com

    :)

    ResponderExcluir
  49. Havia escrito um monte de coisa,mas meu not travou e perdi tudo...rsrsrs. Então apenas digo resumidamente que gosto de escrever, muitas vezes o que sinto, para aprender, conhecer e melhorar minha escrita e meu vocabulario.
    http://rascunhosdapaixao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  50. Faço poemas porque enquanto os faço me ultrapasso, me teletransporto do corpo para a alma, e na linha tênue entre os dois, é onde me acho!

    Adorei seu blog, se tiver um tempinho venha conhecer o meu.

    http://escritoradeartes.blogspot.com/

    Abçs

    ResponderExcluir
  51. Eu faço poemas para desabafar. Eu escrevo exatamente o que sinto naquele momento e transformo toda minha dor em palavras. Não transformo em versos, apenas, por muitas vezes transformo em prosa. Mas, o que me alivia é o simples fato de poder escrever e chorar...

    Teus textos são lindos!
    parabéns pelo teu blog.
    Abraços,
    Adriana.

    ResponderExcluir
  52. "Para chatear os imbecis"


    ...é um bom motivo! rs

    ResponderExcluir
  53. Ousei criar a partir do seu poema,nem precisava,já está tudo nele...mas é a necessidade de fazer Poema!

    Para lavar a alma
    por necessidade
    para contar-me
    em verso...
    [vaidade]

    Para fingir que
    sinto o que digo
    e dizer que não
    finjo o que sinto!
    [intensidade]

    Para adocicar
    minhas palavras
    te fazer sentir
    minhas dores
    [sentimento]

    Pela sonoridade
    e pelo ritmo
    pelo que soa
    em meu ouvido
    [sentidos]

    Faço poema
    porque sou
    contraditória!
    [sou de verdade]

    ResponderExcluir
  54. Toda forma de expressão visa comunicar alguma coisa: raiva, felicidade, extase, etc... Cada momento é diferente, alguns podem até ser parecidos, mas sempre são diferentes, e por isso as vezes a gente quer registrar. Entao sai um poema...

    psixani.blogspot.com

    ResponderExcluir
  55. POrque eu sou baiano rsrsrs
    sei lá é uma nescessidade creio que Castro Alves, Gregório de Mattos eles tiveram essa mesma vontade de fazer sua parte. Viva a Poesia Popular!

    ResponderExcluir
  56. Bom dia...faço poemas ou poesias,
    sei la...só sei que adoro escrever,
    rabiscar,resenhar...minha pena desliza por sobre o papel branco, espirra e respinga tinta ou será sangue? Só sei que quando minha pena se cansa, deita por sobre teu descanso feito de ferro e aço...te dou um acalento um afago e ela, se vira, olha em meus olhos e sorri feliz...Afinal, escrevera por demais e agora, com tuas penas ressecadas e manchadas com meu sangue, deita e dorme o sono dos justos, dos anjos...Ser poeta e arrancar da alma, sentimentos presos no utero da vida, no peito doido e sofrido...arrancar do amago os delirios e devaneios de uma noite mal dormida...É arrancar sangue e suor de uma noite acalorada, intensa e mentirosa...Depois, ao final de tudo, te ver assim, Caro leitor, de boca aberta, queixo caido com tanta surpresa, distraido a ponto de pensar que me ama, pelo simples fato de eu ter usado...a minha pena!
    É isso, me empolguei como sempre...abraços, gostei daqui e vou ficando, seguindo voce!

    ResponderExcluir
  57. Muito lindo e inspirado poema! Não sei porque faço poemas...acho que é mesmo de teimosa!...rsss...bjs,

    ResponderExcluir
  58. Muito saber o porque de nossas inspirações !!
    Lindo saber em prosa e verso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  59. Voce é provocador, instigante... Parabens !

    ResponderExcluir
  60. Adorei esse blog, as palavras ditas no poema, pois é, assim que vive o poeta, de seus sentimentos, suas sensações, alma e espírito, um dia rindo, outro chorando, a vida passando, os poemas surgindo!!!
    Parabéns!!!
    Ivone poemas
    henristo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  61. Góticos Românticos
    Á Herculano Neto
    Edney Santana
    Jorbe Bóris
    ‘’Sob prescrição ‘’
    Receitaram-me
    Fui a quadra Stª Terezinha
    Em conhecer os góticos românticos
    Um talvez turismo de Dante
    Conforme o indicado
    A caráter de cartola e fraque
    Um Zé do Caixão
    Um pouco assustado
    Foi meu guia
    A cada quadra
    A curiosidade me corroía
    As flores entalhadas
    Estavam perfumadas e vivas
    Os arcanjos e anjos
    Tinham olhar distante
    Pois casais praticavam sexo
    A celebrar a vida
    A morte masturbava-se

    Agnaldo de Oliveira Barreto
    Acupe, Santo Amaro 24/10/2011

    Herculano, nós do blog Bom do Acupe agradecemos os seus elogios à nossa cultura e gostaríamos que você participasse com assuntos relacionados a região.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  62. Instigante e envolvente,
    quente sem ser caliente!

    Gostei demais!

    Chateando muitos imbecis?

    Abraços

    ResponderExcluir
  63. Quando o Poema encontra a Poesia, formulam uma conspiração com o UniVerso, e desta conspiração nasce o Poeta... E assim, até mesmo num Verso, podemos sentir o que Uni!
    Talvez “fazer” Poema seja uma tentativa de mostrar-se Unificado, porém de maneira esparsa...
    “Pobres loucos Poetas a debater-se por entre os Versos...”.
    Maravilhoso blog, Herculano. Já o estou seguindo.
    Agradeço sua visita em Só Haikai (minha tentativa de aprender essa modalidade de poemas)
    Abraços!

    ResponderExcluir
  64. OI HERCULANO!

    TEU BLOG É MUITO LEGAL.
    DEU PARA VER QUE ÉS UM POETA QUE INSTIGA, QUE ATRAVESSA AS DECANTADAS REGRAS REGRAS, GOSTEI DE TE LER.
    MAS ACHO QUE ESCREVES, PORQUE TENS TALENTO E PRONTO...
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  65. Gostei da ideia de chatear os imbecis, mas faço poemas muitas vezes por vingança.

    ResponderExcluir
  66. FAÇO POEMAS.. POIS É O ÚNICO REMÉDIO PARA MEU TÉDIO

    ResponderExcluir
  67. Para ser mais gente, GENTE que faz... a diferença... gente que pensa... gente que vive... para respirar. Para fazer valer a pena... para estar próxima de pessoas que valem a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou com um novo blog, gostaria muito q curtisse por eu adoro o seu Muito legal.

      Excluir
  68. O melhor blog que eu conheço... de longe oO
    Cada texto que não da nem rpa falar...

    Pra quem gosta de romantismo e poesia amadora:
    http://sinto-amo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  69. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  70. parabéns é pouco para sua genialidade...
    um blog com personalidade!
    faço poemas para mim ,faço para saber quem sou !
    faço por uma necessidade do eu !!!

    ResponderExcluir
  71. Olá Herculano Neto!

    Bela resposta!
    Realmente fazer poema é relatar em códigos aquilo que a Alma nos revela, todos nós temos várias faces, mas, mil faces não poderiam ser aceitas pela sociedade hipócrita que criou modelos de perfeição, daí surge o poema trazendo a tona de forma oculta e revezando entre si as mil faces do ser, sem que o martelo da ética nos condene.
    Conhecidos buscam sim decifrar segredos nas entre linhas , mas, a certeza do real e do ilusório perdura para sempre...Desconhecidos mergulham na mensagem, absorvendo tudo o que lhe apráz...Essa é a missão do poeta, contar, revelar, ocultar, criar e iludir!
    Convido a você e a todos os leitores que por aqui passam e curtem poemas, para conhecer e comentar o meu blog: www.autoralibarbosa.blogspot.com novos seguidores serão muito bem-vindos.
    Li Barbosa

    ResponderExcluir
  72. Os meus versos compõem a essência dos muitos "Eus", desse infinito mistério de Ser.(08/08/09), Muito bom te conhecer Herculano, seus textos são envolventes, muito bom mesmo, um abraço e grata pela visita e comentário no meu blog.

    ResponderExcluir
  73. A poesia simplesmente é nossa serva: rasgamo-la, arruinamo-la e a bendizemos... Mas ela também ganha vida e voa para além de nós! No entanto, depressa morre quando morremos.
    Concordo, quantos vezes buscamos aprovação através dela...
    Abraço
    PS: se puder, dê uma espreitada em meu blog.

    ResponderExcluir
  74. Meus versos são explícitos,
    Exalam o amor que sinto com intensidade,
    Gritam por socorro e choram de saudade!
    Meus versos não pedem licença,
    Arrombam portas,
    Desabam os portais
    Desconstroem as barreiras
    E os muros reais.

    11 de maio de 2012.
    Nathalia Leão Garcia

    ResponderExcluir
  75. Porque arde, incendeia, queima e então renasce, tudo em mim, tudo por fim, recomeça a nova arte.

    Lindo este lugar... beijos

    ResponderExcluir
  76. escrevo para desaguar, simplesmente por necessidade e é por isso que meu escrever às vezes é torto, sem nexo.

    ResponderExcluir
  77. Adorei o poema, a intertextualidade, tudo! Eu não faço poemas, não sei escrever esse gênero :/ Meu negócio é prosa mesmo, mas quem sabe um dia eu tento? Beijos, Cat.

    ResponderExcluir
  78. OLÁ, AMEI SEU BLOG E DEIXO AQUI UMA PEQUENA RESPOSTA:

    "...Você poesia, composta de meus versos
    Eu te perdôo pela indiscrição...
    Eu te perdôo sim poesia,
    Pois não viveria sem você...
    Com rima, ou sem rima, já faz parte
    Desta minha vida, dos meus sonhos
    E da minha alegria!" ®Gena Maria

    UM GRANDE ABRAÇO!
    Gena

    ResponderExcluir
  79. OLÁ, AMEI SEU BLOG E DEIXO AQUI UMA PEQUENA RESPOSTA:

    "...Você poesia, composta de meus versos
    Eu te perdoo pela indiscrição...
    Eu te perdoo sim poesia,
    Pois não viveria sem você...
    Com rima, ou sem rima, já faz parte
    Desta minha vida, dos meus sonhos
    E da minha alegria!" ®Gena Maria

    UM GRANDE ABRAÇO!
    Gena

    ResponderExcluir
  80. Para fazer poemas não há uma resposta objetiva, nunca haverá.. faz-se poemas por uma série de razões que ó nos pertence.

    Aliás, adorei o seu poema.

    ResponderExcluir
  81. Eu não existia ainda nesse tempo por aqui. Mas é verdade que gosto de ouvir sobre o porquê de se fazer poemas. E vou poupá-lo de explicar por que eu faço.

    Beijos, Herculano (e eu aqui no cemitério! rs, que não resisti em saber por que você faz poema)

    ResponderExcluir
  82. Porque há dias em que a gente sente vontade de escrever mesmo isso sendo ambíguo. Porque existem manhãs com a leveza do vento e do chuvisco na janela, outros dias com o aço de trovões. E, nesses dias, há a necessidade de mais; ser mais, viver mais, respirar mais, elaborar mais, ouvir mais e, consequentemente, ler mais. Ler linhas, entrelinhas, pretos-e-brancos e coloridos. Assim, deseja-se também escrever: ler a si!

    ResponderExcluir
  83. Eu escrevo!
    Sou poeta por que antes sou meus versos.
    Minha alma é pena
    que derrama sentimentos
    que caem em forma de palavras
    nas folhas brancas do tempo.
    Leia-me...
    Conheça-me...
    Aprenda-me...
    Sou poeta, por que sou poema!

    ResponderExcluir
  84. Permita-me aqui responder com um de meus poemas, se é que assim posso classificá-lo.


    Arte, poeta e alma

    Arte, mecanismo do poeta que toca a alma.
    Arte de escrever, de ler, de desenhar, de esculpir o sentimento da alma, de moldar o poeta.
    Alma da arte poeta arte da alma.
    Poeta, ser das inspirações que toca ou não, que escreve, mas nem sempre imprime na arte, por não timbrar na alma.
    Alma das coisas, alma das pessoas, em tudo há alma, que as vezes o poeta nos dá condições de enxergá-la e assim se faz a arte.
    Inevitavelmente se fala na arte de viver, na arte de criar, na arte de reproduzir, na arte da obra do infinito e não raro na arte de sentir a alma do poeta.
    Poeta que toca e canta, encanta e desencanta a alma da arte que há em cada um aguardando seu momento de soltar o sentimento recolhido, medroso, talvez vergonhoso.
    Alma que faz sobreviver a arte do poeta de variados poemas, versos e rimas.
    O poeta cria, a arte é criada, a alma acolhe, ou seria, a alma cria, o poeta acolhe e a arte é criada, tão complexo como definir como nos toca na alma a arte nas suas inumeráveis expressões, do poeta que versa com as cores da imaginação da alma, que faz literatura com a arte íntima de cada um de nós, que desenha na alma com a arte de seu poema e que forma letra nas linhas tortuosas do sentimento.
    Teríamos, em fim, como definir qual a melhor das artes? Esta aí a duvida que leva o artista a cada vez mais, profundamente tentar fazer sentir a alma e na alma, missão difícil, mas por alguns cumprida com maestria.
    Mas com certeza umas das mais nobres é a arte de prosseguir, seguindo, com aquilo que não raro, é considerado insignificante, e que, geralmente traduz a coragem do poeta, condição primeira para ser tal, a ousadia do gesto acolhedor nas entrelinhas do livro da vida de cada um, o pensamento ligeiro, mas luminoso, oriundo da boa emoção, o toque sincero e sem intenções, a palavra nem sempre poética, mas válida tanto quanto... Porque em quase tudo se nota a falta da alma, advertência que a todo o momento a arte nos faz, como poetas distraídos que ainda somos, mostrando que, se sentimos algo de maneira única, também só por nós a criação nunca será igual a outra.

    "Escrever consiste em aprisionar uma idéia que ao nascer sempre trás em seu gene um plano de fuga".

    ResponderExcluir
  85. Porque o poema é o meu teorema da liberdade. Nada mais me traz tanto deleite do que transcrever os meus deleites, senti-los, moldá-los em forma de vida e morte. Um exercício de sorte, nem sempre forte, mas, que nas cinzas das horas, é a minha chave para as veredas do infindável, onde tudo adquire um sentido iminente, transparente...eloquente.

    http://leigopoeta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails